Certificados

Acreditação Internacional

O Hospital Paulistano entrou para o seleto grupo de hospitais que possuem o selo de acreditação internacional pela Joint Commission International (JCI), o mais importante órgão certificador do mundo. A certificação pela JCI vem assegurar a melhoria contínua dos novos processos de cuidado ao paciente.
A Joint Commission International é a líder mundial em qualidade dos cuidados de saúde e segurança dos pacientes e tem trabalhado com instituições de saúde, ministérios da saúde e organizações globais em mais de 80 países, desde 1994.

Segurança no cuidado ao paciente

O processo de acreditação internacional disseminou a cultura de segurança e qualidade contínua nos cuidados destinados ao paciente. A gestão da qualidade engloba processos assistenciais e administrativos.

Como somos avaliados?

O Hospital Paulistano foi avaliado com base em uma série de critérios que envolvem os processos de cuidado ao paciente. Entre eles:

  • Metas internacionais de segurança do paciente;
  • Direitos do paciente e dos familiares;
  • Acesso ao tratamento e continuidade do cuidado;
  • Avaliação do paciente;
  • Cuidado ao paciente;
  • Educação do paciente e dos familiares;
  • Gerenciamento e uso de medicamentos;
  • Anestesia e cirurgia;
  • Capacitação dos recursos humanos;
  • Gerenciamento da comunicação e das informações (prontuário);
  • Vigilância e controle de infecção hospitalar;
  • Direção e capacitação dos líderes;
  • Gerenciamento e segurança das instalações;
  • Segurança do paciente e melhoria contínua da qualidade.

Benefícios aos clientes

  • O processo de acreditação incentiva a instituição a aprimorar continuamente os seus colaboradores por meio de cursos e treinamentos. Profissionais mais qualificados garantem melhor atendimento;
  • O modelo de gestão pela qualidade estimula o Hospital Paulistano a buscar a melhoria contínua dos seus processos e serviços;
  • O hospital oferece aos pacientes e aos seus familiares um atendimento uniforme, eficiente e que visa minimizar a ocorrência de falhas por meio de protocolos, políticas e procedimentos;
  • O hospital possui canais abertos e de confiança com seu público, com a comunidade e com seus colaboradores, independentemente de seus valores culturais, sociais e religiosos.

Canal de comunicação com a JCI

Queixas e situações referentes à qualidade e segurança do paciente podem ser comunicadas à Joint Commission International (órgão certificador de qualidade). Para entrar em contato com a JCI, inclua o seguinte:

  • Uma a duas páginas resumindo os problemas (em inglês, se possível);
  • Nome, endereço, cidade e país da instituição de saúde;
  • Nome e informações de contato da pessoa que está enviando a queixa (opcional).

Queixas que contenham informações para contato permitirão à JCI fazer um acompanhamento com o remetente, caso algum esclarecimento adicional for necessário ou para solicitar informações adicionais necessárias.

O nome e informações para contato da(s) pessoa(s) que enviar(em) a queixa serão mantidos em sigilo e não serão revelados a qualquer uma das partes sem a permissão expressa do remetente, a menos que seja exigido por lei. Entretanto, pode ser necessário compartilhar a queixa com a instituição citada no curso da análise da JCI.

A JCI analisará e avaliará todas as queixas, conforme apropriado, com base nas informações que receber. A JCI exige que as instituições acreditadas certifiquem-se de que não haja ações de retaliação contra indivíduos que enviarem queixas à JCI.

As queixas poderão ser enviadas pelos canais:

E-mail: jciquality@jcrinc.com

Correio

Quality and Safety Monitoring
Joint Commission International Accreditation
1515 West 22nd Street, Suite 1300W
Oak Brook, IL 60523 EUA

Programa de Cuidados Clínicos – Acidente Vascular Cerebral (AVC)

O Hospital Paulistano, referência em atendimento neurológico, obteve certificado de distinção no Programa de Cuidados Clínicos – Acidente Vascular Cerebral (AVC) pela Joint Commission International (JCI). Esse certificado atesta a preocupação no atendimento a pacientes acometidos pela doença e melhoria contínua dos processos.

As doenças cerebrovasculares são a terceira causa de mortalidade no mundo, tendo sido responsáveis por 9,7% dos óbitos em 2004.  No Brasil, onde existe uma alarmante desinformação sobre seu tratamento, o acidente vascular cerebral (AVC) é principal causa de óbito, ultrapassando as doenças coronarianas.

Missão do Programa de AVC do Hospital Paulistano

Prover atendimento de alta qualidade aos pacientes portadores de acidente vascular cerebral, e aos seus familiares, em um ambiente humanizado, por meio de uma equipe qualificada.

Objetivo

O programa de cuidados clínicos em acidente vascular cerebral (AVC) tem por objetivo oferecer cuidados de alta qualidade aos pacientes portadores de AVC em um ambiente humano, por meio de uma equipe multiprofissional integrada, focando a melhoria da funcionalidade do paciente vítima de AVC e reduzindo reinternações.

Objetivos Específicos

  • Utilizar protocolos clínicos embasados nas melhores evidências, orientando o tratamento clínico de todos profissionais da saúde envolvidos;
  • Capacitar profissionais;
  • Avaliar, gerenciar e mensurar processos e resultados, com a finalidade de promover melhorias contínuas;
  • Aprimorar a comunicação entre paciente, familiares e serviço médico, bem como um programa de educação, facilitando a autogestão das condições clínicas por parte do paciente e seus cuidadores;
  • O Hospital Paulistano conta com neurologistas de plantão 24/7 no pronto-socorro e em plantão a distância para atendimento dos pacientes do programa.

Estratégia do Programa

  • Identificação de pacientes;
  • Tratamento;
  • Acompanhamento;
  • Gerenciamento;
  • Educação de pacientes e familiares;
  • Continuidade de cuidado.

Recursos disponíveis para manejo do AVC no Hospital Paulistano

  • Exames laboratoriais;
  • Métodos gráficos (ECG e Holter);
  • Exames de imagem:
  • Tomografia computadorizada;
  • Ressonância magnética;
  • US doppler vasos cervicais;
  • Ecocardiograma;
  • Doppler transcraniano.Angiografia cerebral digital (diagnóstica e terapêutica);
  • Neurocirurgia.

Acompanhamento Multiprofissional

Médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, nutricionistas, farmacêuticos e psicólogos compõem a equipe para atendimento aos pacientes com AVC e seus familiares. A equipe se reúne periodicamente para discutir os casos e alinhar o plano terapêutico individualizado.

Programa de Cuidados Clínicos – Cuidados Paliativos

O Hospital Paulistano obteve certificado de distinção no Programa de Cuidados Clínicos em Cuidados Paliativos pela Joint Commission International (JCI). Esse certificado atesta a preocupação no atendimento integral a pacientes e familiares.

“Cuidado Paliativo é uma abordagem que melhora a qualidade de vida de pacientes e seus familiares diante de problemas associados com doenças ameaçadoras da vida, por meio da prevenção e alívio do sofrimento. Requer identificação precoce, avaliação impecável e tratamento de dor e outros problemas de ordem física, psicossocial e espiritual”. (Organização Mundial da Saúde -OMS)

Este programa foi projetado para atender às necessidades dos pacientes portadores de doenças ou condições que ameaçam a continuidade da vida, de seus familiares e dos profissionais que lhes prestam assistência nas unidades de internação.

Missão do Programa de Cuidados Paliativos do Hospital Paulistano

Prover atendimento de alta qualidade aos pacientes portadores de doenças ou condições que ameaçam a continuidade da vida e aos seus familiares, em um ambiente humanizado, por meio de uma equipe multidisciplinar qualificada, melhorando a qualidade de vida.

Objetivo

O Programa de Cuidados Paliativos tem por objetivo oferecer cuidado de alta qualidade aos pacientes portadores de doenças ou condições que ameaçam a continuidade da vida e aos seus familiares, em um ambiente humanizado, por meio de uma equipe multiprofissional integrada e experiente, focando a melhoria da qualidade de vida, através do controle adequado dos sintomas e outros problemas de natureza biopsicossocial e espiritual.

Objetivos Específicos

  • Utilizar protocolos clínicos embasados nas melhores evidências;
  • Capacitar profissionais;
  • Avaliar, gerenciar e mensurar processos e resultados, com a finalidade de promover melhorias contínuas;
  • Aprimorar a comunicação entre paciente, familiares e os profissionais de saúde, bem como um programa de educação, facilitando a autogestão das condições clínicas por parte do paciente e seus cuidadores;
  • Estabelecer protocolo gerenciado para definir a prática do cuidado paliativo e garantir a sua aplicação dentro da melhor evidência científica disponível;
  • Proporcionar conforto e dignidade, em todas as dimensões do sofrimento humano, ao indivíduo portador de doença/condição crônica progressiva ou debilitante, com sintomas estressantes ou em fase final de vida.

Princípios

  • Prover alívio de dor e outros sintomas estressantes;
  • Afirmar a vida e ver a morte como um processo natural;
  • Não antecipar e nem adiar a morte;
  • Integrar aspectos psicológicos e espirituais do cuidado;
  • Oferecer apoio para ajudar o paciente a viver tão ativamente quanto possível até a morte;
  • Oferecer apoio para ajudar a família a lidar com a doença do paciente e o luto;
  • Dispor de uma equipe interdisciplinar para atender as necessidades do paciente e seus familiares, inclusive orientação no luto, se indicado;
  • Melhorar a qualidade de vida e poder influenciar positivamente o curso da doença;
  • Ser aplicável nos estágios iniciais da doença, em conjunto com outros tratamentos que tem o objetivo de prolongar a vida, como quimioterapia ou radioterapia, e incluir investigações necessárias para o melhor entendimento e manejo de complicações clínicas estressantes.

(OMS, 2008)

Estratégia do Programa

  • Identificação de pacientes;
  • Tratamento;
  • Acompanhamento;
  • Gerenciamento;
  • Educação de pacientes e familiares;
  • Continuidade de cuidado.

Recursos disponíveis para Cuidados Paliativos no Hospital Paulistano

  • Unidade de Cuidado Paliativo;
  • Equipe Multiprofissional;
  • Médicos;
  • Enfermeiros;
  • Psicólogos;
  • Assistente social.

 

    VEJA TAMBÉM